Rio Branco, AC, 14 de abril de 2024 21:39

Conscientização sobre o autismo: Avanços e iniciativas no Acre

Facebook
Twitter
WhatsApp

No Dia Mundial de Conscientização do Autismo celebrado nesta terça-feira (2), o Acre destaca os avanços significativos no apoio e na compreensão do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o autismo afeta 1 em cada 100 crianças em todo o mundo, tornando essencial o esforço contínuo para aumentar a conscientização e reduzir o estigma em relação a esta condição.

Instituído em 2007 pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Dia Mundial de Conscientização do Autismo visa disseminar informações cruciais sobre o neurodesenvolvimento e combater o preconceito enfrentado pelas pessoas com TEA.

O TEA é caracterizado por dificuldades na interação social e na comunicação, além de comportamentos repetitivos e interesses restritos. Ele se manifesta em três níveis de suporte: leve, moderado e elevado, exigindo abordagens individualizadas e serviços especializados para atender às necessidades de cada pessoa.

No Acre, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) desempenha um papel fundamental na prestação de serviços por meio do Centro Especializado em Reabilitação Frei Paolino Baldassari (CER III), localizado em Rio Branco. Este centro não apenas oferece suporte para pessoas com autismo, mas também para aqueles com outras deficiências, atendendo aproximadamente 7 mil pessoas.

Os serviços oferecidos incluem psicologia, avaliação neuropsicológica, fisioterapia, exame audiológico, consultas em diversas especialidades médicas e muito mais. Os pacientes têm acesso ao centro até três vezes por semana, garantindo um acompanhamento regular e abrangente.

Um marco significativo no Acre é a introdução da Carteira Estadual da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (e-Ceptea), uma iniciativa conjunta da Sesacre e da Secretaria de Estado de Administração (SEAD). Esta carteira digital facilita o acesso a serviços e auxilia na identificação e no rastreamento da população autista do estado, possibilitando um planejamento mais eficaz de políticas públicas para atender às suas necessidades específicas.

A e-Ceptea pode ser emitida na OCA em Rio Branco, representando um passo significativo rumo à inclusão e ao apoio adequado para aqueles com autismo no Acre.