Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 07:13

DNA comprova que arma encontrada em perseguição policial não pertencia a enfermeira morta

Facebook
Twitter
WhatsApp

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) apresentou resultados contundentes que repercutem no caso da morte da enfermeira Gessica Melo, morta em meio a uma perseguição policial em dezembro de 2023, na cidade de Senador Guiomard.

O laudo do DNA, realizado pela perícia criminal da Polícia Civil do Acre, apresentou evidências de que a arma encontrada no local da perseguição não pertencia à vítima. Segundo as informações, o DNA encontrado na arma, carregador e munições não corresponde ao perfil genético de Gessica Melo.

Em uma reviravolta, foram identificados traços genéticos masculinos, sugerindo a presença de terceiros na estrutura do armamento. As conclusões das investigações do MPAC lançam uma nova luz sobre o caso, levantando sérias questões sobre a conduta dos policiais envolvidos.

As investigações apontam que há indícios de crime doloso, quando há a intenção de matar, além de apontar para possíveis tentativas de fraude processual.