Rio Branco, AC, 14 de abril de 2024 22:03

Morre no PS a vendedora de castanhas que foi atropelada por uma moto; filha orou no meio da rua pedindo a Deus que não levasse sua mãe

Facebook
Twitter
WhatsApp

A vendedora de castanhas Carmen Rodrigues de Oliveira, de 33 anos, morreu na última quarta-feira (13) no Pronto Socorro de Rio Branco (PS). Ela foi vítima de um acidente de trânsito ao tentar atravessar a Avenida Ceará, no bairro Habitasa.

Testemunhas relataram, no dia do acidente, ocorrido na última sexta-feira (8), que Oliveira estava com sua filha de 11 anos, quando um homem que trafegava em uma motocicleta modelo Honda Titan preta, no sentido centro bairro, atingiu as vítimas.

Ainda segundo testemunhas, quando Carmen percebeu que iria ser atropelada, abraçou a filha para protegê-la, e acabou recebendo todo o impacto da moto, sendo arremessada no asfalto, batendo a cabeça e desmaiando em seguida. A filha dela teve apenas escoriações.

O motociclista Ataíde de Carvalho Lira, de 22 anos, que atropelou as vítimas, também ficou ferido, mas permaneceu no local e até a chegada de socorristas e de policiais militares do Batalhão de Trânsito. Uma ambulância de suporte avançado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada, e quando os paramédicos encontraram Carmen em parada cardiorrespiratória. Rapidamente a mulher foi colocada dentro da ambulância e os socorristas iniciaram o protocolo de massagens cardíacas.

A filha de Carmen observou a gravidade do estado de saúde da mãe, se ajoelhou ao lado da ambulância e começou a orar pela vida dela, dizendo “Papai do céu protege a minha mãe, não deixa minha mãe morrer”.

Os profissionais do SAMU informaram que passaram alguns minutos realizando massagens cardíacas em Carmen, mas ela já estava até com a pupila dilatada, quase já que em óbito, porém, após meia hora de procedimentos, os batimentos cardíacos da vítima retornaram e ela foi estabilizada e encaminhada em estado gravíssimo ao Pronto Socorro de Rio Branco (PS).

Segundo uma médica do SAMU, Carmen sofreu fraturas na perna direita e no braço direito e um Traumatismo Cranioencefálico (TCE) de natureza gravíssima. O motociclista Ataíde sofreu apenas escoriações e foi encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Franco Silva, na Baixada da Sobral.

Após passar cinco dias internada no hospital, Carmen não resistiu aos ferimentos e morreu na noite de quarta (13). A informação foi confirmada por familiares. O corpo de Carmen foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e, na quinta (14), foi liberado para a família realizar o velório e sepultamento.