Rio Branco, AC, 14 de abril de 2024 21:09

“Cala a boca” diz atendente do SAMU, em uma chamada de pedido ajuda em Sena Madureira

Facebook
Twitter
WhatsApp

Uma denúncia grave chegou à redação do Alerta Cidade, expondo um atendimento precário na central do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), especialmente no segundo estágio, quando a ligação é transferida para o suporte médico.

Segundo relatos da família da senhora Antônia Lúcia, com 60 anos, residente em Sena Madureira, a situação começou com um mal-estar na tarde do último dia 15, mas se agravou à noite por volta das 20:00h. A idosa começou a vomitar, sentir fortes dores abdominais e ficar ofegante. Desesperados, os familiares buscaram atendimento médico ligando para o SAMU, na esperança de encaminhar a idosa para o Hospital João Câncio Fernandes.

No entanto, o atendimento inicial gerou indignação. Uma atendente solicitou informações sobre o endereço para a solicitação, e ao transferir a chamada para o suporte médico, o atendente fez questionamentos insensíveis sobre os sintomas da paciente. Diante da preocupação da família com a demora, o atendente, de forma desrespeitosa, mandou um dos familiares calar a boca, insistindo que a paciente fosse levada ao hospital pela própria família, alegando que o SAMU estava em atendimento e poderia demorar até uma hora.

Revoltados com a falta de empatia e profissionalismo, a família decidiu tornar pública esta denúncia, buscando conscientizar a população sobre a importância de um atendimento humanizado, especialmente em situações de emergência. A redação está acompanhando o caso e buscará esclarecimentos das autoridades competentes sobre o ocorrido.