Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 07:09

Caso Adriana Paulichen: Homem que matou esposa na frente do filho tem pena reduzida de 31 para 20 anos e 10 meses de reclusão

Facebook
Twitter
WhatsApp

A Câmara Criminal de Rio Branco acatou a revisão na condenação de Hitalo Marinho Gouveia, responsável pela morte da esposa Adriana Paulichen, no ano de 2021. Condenado a 31 anos de reclusão, Hitalo teve a sua pena reduzida para 20 anos e 10 meses, pela justiça acreana.

Em 2023, Hitalo Marinho foi responsabilizado pela morte de Adriana Paulichen, por homicídio triplamente qualificado incluindo feminicídio, por motivo torpe, com agravante por ter cometido na frente do filho. O Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar da Comarca de Rio Branco, proferiram a decisão após acatar a tese do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC).

De início, o MPAC teria denunciado o crime praticado por Hitalo com a argumentação de que o casal teria discutido após Adriana descobrir uma traição do esposo. Com a briga, Hitalo teria a atacado com uma faca, seguido de estrangulamento até a morte, na frente do filho do casal.

Com o veredicto, o advogado responsável pelo caso, Sanderson Moura contestou que a decisão anterior era injusta e midiática. Desse modo, os desembargadores retiraram os elementos de culpabilidade e comportamentais da vítima como elementos agravantes, reconhecendo a atenuante de confissão.