Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 07:12

Empresa alvo de operações da PF em Roraima por suspeita de fraudes em cirurgias, atua no Acre

Facebook
Twitter
WhatsApp

A Polícia Federal (PF) cumpriu mandado de busca e apreensão na casa da secretária de Saúde, Cecília Lorenzon, por suspeita de fraudes na realização de cirurgias traumatológicas e ortopédicas na Saúde em Roraima nesta sexta-feira (2). Também foram feitas buscas na Secretaria de Saúde (Sesau), e no Hospital Geral de Roraima (HGR), o maior hospital do estado.

De acordo com as investigações da operação batizada como “Higeia”, as contratações de empresas que prestam serviço para a Saúde foram feitas “sem um estudo técnico preliminar comprovando a necessidade interna do serviço, desconsiderando auditorias anteriores do Tribunal de Contas da União (TCU) e da Controladoria-Geral da União (CGU)”.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Roraima informou que assim que tiver acesso à investigação policial será aberta apuração administrativa dos fatos e se colocou a disposição para prestar todos os esclarecimentos de forma integral, afirmando que, se houver comprovação de qualquer irregularidade, “serão adotadas as medidas cabíveis”.

A Sesau finalizou informando que a secretária da Saúde, Cecília Lorenzon está tranquila e à disposição para todo e qualquer esclarecimento acerca da investigação.

Além de Roraima, foram expedidos 10 mandados de busca e apreensão pelo Tribunal Federal da 1ª Região para serem cumpridos em Cuiabá (MT) e Goiâna (GO), além da determinação para bloqueio de bens de mais de R$ 30 milhões dos investigados.

Além disto, também foi ignorada a recomendação da própria Controladoria Geral do Estado de Roraima para a não contratação destes mesmos serviços.

As investigações também indicam suspeitas de direcionamento de licitação e superfaturamento da contratação da empresa pelo governo do Acre.

O nome da operação faz alusão à deusa da saúde, na mitologia grega, cujo nome também dá origem à palavra “higidez”, que no direito se refere a atos conforme a legislação.

Cecília Lorenzon

Cecília Lorenzon é advogada e está no cargo de secretária de Saúde desde fevereiro de 2022. Ela foi a 10ª indicada pelo governador de Roraima, Antonio Denarium (PP), à assumir a pasta em sua gestão substituindo Leocádio Vasconcelos.

Antes disso, ela tinha sido nomeada para o mesmo cargo em 2020, na pandemia de Covid-19, mas foi substituída.

Em setembro de 2023, a Polícia Federal deflagrou uma operação para apurar suspeita de superfaturamento na execução de contrato com duas empresas para serviços de recarga de oxigênio, insumos hospitalares e farmacêuticos ao Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami (Dsei-Y).

Um dos alvos da operação Hipóxia foi o marido da secretária, Wilson Fernando Basso, dono de uma empresa de produtos farmacêuticos.

Em fevereiro de 2023, repercutiu imagens de uma grávida jogada no chão aguardando atendimento aonde está funcionando provisoriamente a maternidade Nossa Senhora de Nazareth e em meio à diversos problemas enfrentados pelo hospital materno, como o aumento do número de crianças mortas, a secretária comentou a situação: “pessoas se prestam a dar show”.

À época, ela disse em grupo do WhatsApp que não havia superlotação na maternidade, mas, sim uma fila de cirurgias com critérios de atendimento avaliado pelos médios.

“Acontece q tem pessoas q se prestam a dar show ao invés de respeitar os profissionais [sic]”, disse Cecília sobre a grávida que chorava no chão.

Com informações do portal de notícias G1 Roraima.