Rio Branco, AC, 14 de abril de 2024 22:07

Após denúncia anônima, PMs do 2° Batalhão prendem homens com armas de fogo e muitas munições no bairro Taquari

Facebook
Twitter
WhatsApp

Francisco Mário da Silva Ribeiro, de 21 anos, foi preso e Iranildo Lima de Oliveira, com 20, foi ferido a tiros e em seguida também foi preso. Ambos acusados de porte ilegal de armas de fogo e participação em Organização Criminosa (ORCRIM) na manhã deste sábado (6), no Loteamento Praia do Amapá, na região do Segundo Distrito de Rio Branco.

Segundo informações da Polícia Militar (PM) o serviço de inteligência do 2° do Batalhão da PM recebeu uma denúncia anônima relatando que dentro de uma residência na rua Aldeota, havia alguns homens armados se preparando para atacar membros de uma suposta facção rival, que estavam na rua Fortaleza do Abunã, no final do loteamento.

Os militares da inteligência foram verificar a informação e confirmaram a veracidade dos fatos. Policiais militares das guarnições das proximidades foram acionados e realizaram um cerco policial na residência, onde encontraram Iranildo abrindo a porta e, de posse de uma pistola, o acusado começou a correr. Com a grave ameaça que envolveu a circunstância da abordagem podendo o suspeito atirar contra a guarnição, foram efetuados dois disparos, sendo um em cada perna de Iranildo.

O rapaz caiu sob o solo e a pistola caiu mais longe ainda do acusado, que foi detido. Iranildo estava com sangramento ativo nas duas pernas, sendo necessário acionar uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e também sendo necessário um dos PMs fazer um torniquete para estancar o sangue nas pernas.

O SAMU enviou uma ambulância de suporte básico que levou o preso até o PS para ser atendido e estabilizar o quadro clínico. Duas horas depois, Iranildo recebeu alta médica e foi levado para a Delegacia de Flagrantes (DEFLA).

Ainda no cerco policial, mais dois homens foram visualizados no interior da casa, e foi solicitado que eles saíssem e, em seguida, a dupla se entregou. Dentro do imóvel foi encontrado mais um revólver e várias munições. Em uma rápida conversa, Francisco confessou que seria outra pessoa que promoveria possíveis ataques criminosos e que o proprietário da casa, um idoso, não possui envolvimento no crime organizado, mas foi conduzido como testemunha.

Diante dos fatos, Francisco foi encaminhado à DEFLA e apresentado junto a Iranildo, com pistola e um revólver, além de 32 munições intactas, para serem tomadas as medidas cabíveis.