Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 05:48

Em estágio probatório, sindicato do ISE quer colocar novos servidores “na forca”

Facebook
Twitter
WhatsApp

“Devem se cercar de todos os cuidados, pois como todos estão no período do estágio probatório, qualquer deslize pode culminar na perda do emprego.” Disse um dos organizadores da paralização.

Estágio probatório do servidor público é o período, logo após ingressar, no qual as aptidões e a capacidade para o desempenho das atribuições do cargo serão testadas e avaliadas pelo órgão administrativo.

Isso significa que, após o período de estudos, realização de provas, aprovação e posterior nomeação, o funcionário ainda precisa cumprir uma etapa de teste.

Os servidores nomeados a partir da publicação da Emenda Constitucional nº 19, de 04 de junho de 1998, precisam passar pelo período probatório de 3 anos, cumprindo efetivamente as funções do cargo para o qual foram nomeados. Só então se enquadrarão nas regulamentações e direitos de um servidor público e terá a estabilidade pretendida.

Greve do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE)

O Sindicato dos Técnicos e Agentes em Ações Socioeducativas (SINTASE), encaminhou um documento para à Secretaria de Estado do Governo (SEGOV), endereço a Alysson Bestene, informando uma paralisação de advertência de 72h, iniciando no dia 23 de janeiro, e finalizando no dia 25 do mesmo mês.

Os servidores pretendem reivindicar contratações de novos servidores, carteira funcional, adicional de titulação, construções de locais para descanso e alimentação, aumento do banco de horas e que todos os servidores possam fazer banco de horas, aquisição de equipamentos novos para equipe técnica e de segurança e proteção para todos os servidores, melhor distribuição das gratificações, capacitação continua para todos os servidores, dentre outros.

“Pessoal só uma dica… Se vamos paralizar…. E vc for fazer BH é complicado, assim enfraquece o movimento, então você antecipe e retire seu nome… Se não, não tem sentido…

Outra coisa, o movimento é para todas as unidades… Você do interior, não pode ficar de fora, se preparem, procurem algum lugar para manifestar pessoal… Pode ser até na frente da unidade…”, teria dito Janderson Jacome, que estaria figurando como uma dos organizadores da paralisação.

O Alerta Cidade entrou em contato com Janderson, que apenas disse “Sim” sobre nossos questionamentos, mas não explicou sobre a incorporação dos servidores em estado probatório, no movimento.