Rio Branco, AC, 22 de julho de 2024 09:57

Empresário que agrediu professor em bar no município de Brasiléia, tem pedido de prisão negada e está livre

Facebook
Twitter
WhatsApp

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) recorreu na decisão que garantia a liberdade provisória do empresário que agrediu um professor em um bar, no município de Brasiléia. No entanto, o recurso foi negado pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

O empresário Adriano Vasconcelos Correia da Silva, passou a ser réu pelo crime de tentativa de homicídio do professor Paulo Henrique Brito, ocorrido no último dia 03 de outubro do ano de 2023. O Juiz da Vara Criminal de Brasiléia, Dr Clóvis de Souza Loide, teria acatado a decisão de aceitar a denúncia do MPAC.

De acordo com o processo, Adriano Vasconcelos teria dado um soco no professor, após uma discussão. O agressor teria quebrado um copo de vidro no rosto de Paulo Henrique. Devido à agressão, o funcionário público perdeu a visão do olho esquerdo.

Embora o empresário tenha sido preso, obteve-se a liberdade provisória, após pagar fiança no valor de R$ 10 mil. Posterior aos fatos, o MPAC recorreu da decisão que garantia a liberdade provisória pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

Segundo a corte, já passaram-se quatro meses dos fatos e não houve registros de que Adriano Vasconcelos tenha transgredido as cautelares impostas na audiência de custódia, que o colocou em liberdade.