Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 06:32

Governador Gladson Cameli prestigia assinatura de ordem de serviço para construção da usina de beneficiamento da Coopercafé

Facebook
Twitter
WhatsApp

Do ponto mais ocidental do país vem mais uma aposta para fomentar a produção agrícola no Acre. Neste sábado, 27, o governador Gladson Cameli prestigiou, em Mâncio Lima, a assinatura de uma ordem de serviço para construir a usina de beneficiamento da Coopercafé, indústria com sede no município.

Produtores rurais celebraram o avanço histórico. Foto: Marcos Santos/Secom

Criada em 2021, a Indústria de Cafeicultores do Vale do Juruá, região em que habitam mais de 200 mil acreanos, colabora com o avanço da produção sustentável de café na região. Com os incentivos da administração estadual e de parceiros, a prática desponta como um caminho promissor para impulsionar o desenvolvimento econômico e social do Acre.

Durante a cerimônia, Cameli destacou que o Estado tem se empenhado para potencializar o setor. O chefe do Poder Executivo enfatizou que a política que proporciona a abertura e recuperação de ramais de janeiro a janeiro, a aquisição de máquinas pesadas para auxiliar o produtor rural, o apoio técnico e a mecanização dos serviços, além da distribuição gratuita de mudas e a realização de concurso para premiar as marcas em destaque no Acre, têm fortalecido e estimulado o crescimento da cafeicultura em território acreano.

“É um momento de reconhecer e agradecer o apoio do governo federal, que tanto tem ajudado o Acre e que, neste caso, colaborou para realizar o sonho antigo da construção do Complexo Industrial da Coopercafé. Como governante acreano, também agradeço às demais parcerias que nos ajudam a construir um estado melhor para todos, sobretudo tudo para as minhas autoridades [as crianças], pois é para elas que atuamos para transformar o território acreano em terra próspera e de oportunidades”, ratificou Cameli.

Para construir e equipar a unidade, será aplicado cerca de R$ 6 milhões de recurso próprio da Coopercafé e da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). Com a iniciativa, será assegurado aos cooperados o beneficiamento mecanizado do grão, ou seja, o trabalho de eliminar a casca da cereja do café e de separação do grão será feito de forma célere. O método é essencial para que o produto chegue ao consumidor com qualidade.

Produção sustentável de café avança no Juruá. Foto: Diego Silva/Secom

Com palavras de gratidão aos parceiros e produtores, Jonas Lima, presidente da Coopercafé, falou da satisfação de vivenciar o que classificou como momento histórico e um marco para o setor no Acre. “As conquistas que estamos presenciando hoje foram construídas com muitas mãos”, celebrou Jonas.

Jonas: “A conquista é fruto de parcerias e muitos
esforços”. Foto: Marcos Santos/Secom

O evento reuniu secretários de Estado, deputados, empresários do ramo, prefeitos e autoridades locais.

Café: fonte de prosperidade e de oportunidades

Nos últimos anos, o produtor manciolimense Bruno Oliveira é prova viva do avanço da cultura da produção sustentável de café na região. O solo fértil aliado aos incentivos do poder público e à força do trabalho expandiram os negócios da família, que se tornou sinônimo de prosperidade e de oportunidades.

Família uniu-se em torno da comercialização do café. Foto: Marcos Santos/Secom

Ao relatar as maiores conquistas que a prática trouxe à sua vida, o representante do Café Vovô Raimundo resumiu: “A união da minha família. Juntos, estamos tocando o negócio que se iniciou com o meu avô. É uma satisfação”, proferiu.