Rio Branco, AC, 21 de abril de 2024 06:55

Homens encapuzados invadem casa, executam jovem e deixam adolescente ferida no Taquari

Facebook
Twitter
WhatsApp

Bruno da Silva Nascimento, de 19 anos, foi morto a tiros e uma adolescente de 13 anos foi ferida com dois disparos na madrugada deste domingo (7), na Travessa Diógenes, no bairro Taquari, na região do Segundo Distrito de Rio Branco.

Segundo informações da polícia, Bruno e a adolescente estavam dentro de um quarto na própria residência dormindo, quando três homens encapuzados chegaram no local, pularam o muro da lateral da casa e arrombaram a porta da frente.

Ao adentrarem no imóvel, os suspeitos foram até o quarto da mãe da adolescente e, em seguida, foram em outro quarto onde encontraram Bruno e a adolescente dormindo. De posse de várias armas de fogo, os homens efetuaram pelo menos 30 disparos dentro do quarto, e acabaram matando Bruno com vários tiros na cabeça, no rosto e no peito. A adolescente que estava com a vítima também foi ferida por dois tiros, sendo um no joelho direito e outro no pé. Após a ação, os suspeitos fugiram do local do crime.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado e enviou uma ambulância de suporte avançado para dar os primeiros atendimentos, mas, ao chegar no local, os socorristas só puderam atestar morte de Bruno. A adolescente que estava ferida foi socorrida e encaminhada ao Pronto Socorro de Rio Branco (PS), em estado de saúde estável.

A Polícia Militar (PM) isolou a área para os trabalhos da perícia e o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML), para os exames cadavéricos.

Policiais militares do 2° Batalhão colheram as informações para tentar procurar pelos suspeitos de matar Bruno, mas ninguém foi encontrado até o fechamento desta matéria.

Ainda segundo informações da polícia, Bruno é suspeito de ter participado de uma ação criminosa que culminou no incêndio de uma residência no bairro Taquari, devido uma pessoa ter trocado de facção criminosa.

Agentes de Polícia Civil da Equipe de Pronto Emprego (EPE) colheram as primeiras informações, e o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).