Rio Branco, AC, 16 de abril de 2024 06:05

Operação “Jackpont” da Polícia Civil do Acre que visa combater jogos de azar e rifas infundadas, cumpriu 18 mandados de busca e apreensão nesta segunda-feira

Facebook
Twitter
WhatsApp

Na manhã desta segunda-feira, 18, a Polícia Civil do Acre (PCAC) deflagrou a operação “Jackpont” com o objetivo de coibir a prática de jogos de azar e rifas ilegais. A ação resultou no cumprimento de cerca de 18 mandados de busca e apreensão, dos quais 17 foram concluídos com sucesso.

Durante a operação, foram apreendidos 13 celulares, dentre eles quatro ainda estavam lacrados, além de dois veículos que supostamente teriam sido adquiridos com recursos provenientes dessa prática criminosa. Segundo a lei, jogos de azar são aqueles em que o ganho ou a perda dependem da sorte.

É importante ressaltar que, com a criação da Lei 13.756 em 2018, uma nova modalidade de loteria foi instituída, o que impactou na classificação das apostas esportivas como loteria, sendo consideradas um serviço público no Brasil. No entanto, a regulamentação necessária para sua exploração ainda não foi implementada, conforme previsto pela lei.

“Apesar de permitidas, as apostas ainda não podem ser exploradas no Brasil devido à ausência de regulamentação específica. A Polícia Civil continua atuando para coibir práticas ilegais e garantir a segurança da população”, destacou o diretor do Departamento de Polícia da Capital e do Interior, e delegado, dr. Pedro Paulo Buzolin.

A operação policial denominada “jackpot” significa um prémio acumulado em máquinas de cassinos ou em sorteios de loterias (como o Euromilhões, a Mega-Sena ou o Totoloto), onde o valor do prémio aumenta sucessivamente com cada jogo efetuado e não contemplado com o prémio máximo.